07

Nov

18

Nov

Seg

Ver Preços

École des Maîtres

Residência Artística

esta será a primeira residência de criação da peça [O SISTEMA] é uma peça sobre algo que entrou em colapso durante o seu tempo de escrita e de idealização. É sobre um antes e um depois e é sobretudo uma reflexão que parte de um sistema que não nos serve

Cristina Planas Leitão aborda o seu trabalho coreográfico como um ato de resistência e afeto, pesquisando temas conectados com movimentos sociais e políticos e a sua relação com o corpo performativo, na intimidade do teatro. Criou The very delicious piece e The Very Boring Piece, co-criações com Jasmina Krizaj, bear me, FM [featuring mortuum] e UM [unimal] – peça destacada pelos jornais Expresso e JN em 2018. O seu trabalho está documentado na série Portugal que Dança / RTP2 (Ep. 02). Como programadora de artes performativas, destaca a colaboração com o Teatro Municipal do Porto desde 2018, onde integra a equipa de programação para as temporadas regulares desde 2019/2020, Festival DDD – Dias da Dança a partir da edição de 2020 e CAMPUS Paulo Cunha e Silva na sua génese e inauguração em 2021. Desde Julho de 2022 é co-Diretora Artística do Teatro Municipal do Porto, Festival DDD – Dias da Dança e CAMPUS Paulo Cunha e Silva. Como professora teve formação continuada com David Zambrano, fazendo parte do único grupo certificado para ensinar as técnicas de Flying Low e Passing Through (2010, Costa Rica), que desde então tem lecionado internacionalmente com uma abordagem somática e não convencional, bem como workshops em torno do conteúdo da sua prática artística. É mentora e professora regular na ArtEZ HK, Arnhem (NL).

 

Esta será a primeira residência de criação da peça [O SISTEMA] é uma peça sobre algo que entrou em colapso durante o seu tempo de escrita e de idealização. É sobre um antes e um depois e é sobretudo uma reflexão que parte de um sistema que não nos serve.

Esta peça trata o sistema, um qualquer sistema como uma pedra que é preciso partir, como um minério que é necessário extrair, como um diamante em bruto que é necessário lapidar, como um cristal permeável à luz. [O SISTEMA] explora a solidariedade gerada a partir do trabalho coletivo e aborda a própria noção de labor, de labuta como gerador da ação, do movimento.

A pedra par(t)iu!

Data

07 - 18, Novembro 2022

Horário

Duração

Faixa etária

Preço

estreia absoluta Abril Dança em Coimbra 2023