01

Abr

Sex


21H30

DURAÇÃO


1h10

Ver Preços

A Criação Acidental

De André Braga & Cláudia Figueiredo

andamos à procura de novas gramáticas de sensibilidade, da inteligência selvagem dos corpos, do corpo chão da terra que reflete memórias ancestrais e desconhecidas

Um monte de pedras e um microfone. O som. O sopro. Uma confissão.
O que pode um corpo? Que corpo é este que vimos perseguindo?
Andamos à procura de novas gramáticas de sensibilidade, da inteligência selvagem dos corpos, do corpo chão da terra que reflete memórias ancestrais e desconhecidas.
“O corpo tem geometria e formas que ninguém ouve”.
O som captado e manipulado ao vivo foi a pista eleita para centrar a pesquisa. Elemento invisível que promove a baralhação entre o dentro e o fora, é incrível a variação dos lugares que se conseguem visitar com um microfone.

 

André Braga e Cláudia Figueiredo desenvolvem juntos o seu trabalho desde que fundaram a CRL – novo nome de um projeto com largos anos de atividade que funde em si CiRcoLando e CentRaL, de Central Elétrica, o espaço de criação e programação que vêm ativando no Porto. Ao longo do seu percurso de 21 anos, criaram 30 espetáculos, estiveram presentes em 19 países e consolidaram uma plataforma de criação aberta e conectada com um leque amplo de outros artistas.
O trabalho no espaço de fronteira caracteriza o percurso desta dupla de artistas, vindo a construir uma linguagem singular fundada no conceito de transdisciplinaridade. Um diálogo intenso entre a dança e o teatro, com forte apelo aos contributos de outros campos da criação: poesia, artes plásticas, música e vídeo. A abordagem poética dos universos dramatúrgicos, o caráter intensamente físico das propostas e a força das componentes plástica e musical são traços marcantes dos seus projetos. Presença forte vêm assumindo também os projetos que trabalham com a comunidade e fazem do território e das pessoas que os habitam a principal matéria criativa.
Corpo-arquivo, memória, ecopensamento, geopoética, natureza, paisagem, os olhares do sul, colonização/descolonização são os tópicos que os vêm ocupando recentemente.  

Data

01, Abril 2022

Horário

21H30

Duração

1h10

Faixa etária

a classificar

Preço

€7

€5

< 25, estudante, > 65, comunidade UC, rede alumni UC, grupo ≥ 10, desempregado, profissional do espetáculo, parcerias

Bilheteira TAGV 1 hora antes dos espetáculos e 30 minutos antes das sessões de cinema. Encerra 30 minutos após o seu início

+ info bilheteira@tagv.uc.pt

 

Local auditório TAGV (lotação limitada)

direção artística André Braga, Cláudia Figueiredo

interpretação André Braga

som ao vivo João Sarnadas

desenho de luz Cárin Geada

direção de produção Ana Carvalhosa

produção Cláudia Santos

coordenação técnica Pedro Coutinho

agradecimentos Vera Mantero, Alejandro Ahmed, Inês Castanheira

coprodução CRL – Central Elétrica, Teatro Municipal do Porto – Rivoli e Campo Alegre/DDD – Festival Dias da Dança, Teatro das Figuras, Teatro Académico de Gil Vicente

residências de criação Mindelact (Cabo Verde), 23 Milhas – Fábrica das Ideias

a Circolando/CRL – Central Elétrica é uma estrutura subsidiada República Portuguesa – Ministério da Cultura/DGArtes

outros apoios Município do Porto, IEF/Cace Cultural do Porto

fotografia Pedro Sardinha

Festival Abril Dança em Coimbra Teatro Académico de Gil Vicente/Universidade de Coimbra, Convento São Francisco/ Câmara Municipal de Coimbra

 

4  e 5 março 2022 Teatro Municipal de Faro, Faro /estreia/ 1 abril 2022 Festival Abril em Dança, TAGV, Coimbra 21 e 22 abril 2022, Festival DDD, Porto 29 e 30abril 2022, Trema Festival 2022