22

Jan

Ter


21H30

DURAÇÃO


1h30

Ver Preços

MB#6 (2018)

De e Com Miguel Bonneville

Bonneville trabalha sobre a sua história pessoal. Convida algumas mulheres, que fazem parte da sua vida, para falarem sobre si mesmas, sobre as suas experiências relacionadas com o facto de serem mulheres, adultas, artistas, no formato de vídeo-retratos.

MB#6 é uma experiência de narração autobiográfica. Bonneville trabalha sobre a sua história pessoal como momento de profundo encontro existencial entre diversas identidades. Convida algumas mulheres, que fazem parte da sua vida, para falarem sobre si mesmas, sobre as suas experiências relacionadas com o facto de serem mulheres, adultas, artistas, no formato de vídeo-retratos. As histórias de cada uma delas, no entanto, são-nos devolvidas pelo intérprete, numa dobragem ao vivo, que reúne as diferentes histórias sob a mesma voz e as funde, tornando-as parte de um único grande retrato que descreve uma nova identidade.

As autobiografias feitas por mulheres sempre foram, ao longo da história, vistas como incompletas, descontinuas, incoerentes, fragmentadas ou privadas. Bonneville vê assim também o seu trabalho, qualquer autobiografia será sempre incompleta, e estará em contínua transformação e regeneração.

Por isso, decidiu revisitar o espectáculo, 10 anos depois, entrevistar novamente as mesmas mulheres, e também outras que ao longo deste período foram influenciando o seu percurso, de forma a continuar a refletir sobre o que é ser-se mulher hoje, tornar-se mulher hoje, sobretudo quando o(s) feminismo(s) e as questões de género e da sexualidade têm adquirido cada vez mais protagonismo nas esferas pública e política.

Miguel Bonneville (n. 1985) introduz-nos a histórias autobiográficas centradas na desconstrução e reconstrução da identidade através de performances, desenhos, fotografias, vídeo, música e livros de artista. Desde 2003, tem apresentado o seu trabalho em galerias de arte e festivais nacionais e internacionais, sobretudo os projetos seriados “Family Project”, “Miguel Bonneville” e “A Importância de Ser”. Fez parte do núcleo de artistas da produtora de dança contemporânea Eira (2004-2006) e da Galeria 3+1 Arte Contemporânea (2009-2013). Foi artista residente no Sítio das Artes, CAMJAP – Fundação Calouste Gulbenkian (Lisboa, 2007), Homesession (Barcelona, 2008), Mugatxoan – Fundação de Serralves (Porto, 2010), Festival Transeuropa2012 (Hildesheim, 2012), Arts Printing House (Vilnius, 2013), Arte y Desarrollo (Madrid, 2014), e La Box (Bourges, 2018), entre outros. Recebeu o Prémio Ex Aequo (2015) pelas performances ‘Medo e Feminismos’, em colaboração com Maria Gil, e ‘A Importância de Ser Simone de Beauvoir’.

Data

22, Janeiro 2019

Horário

21H30

Duração

1h30

Faixa etária

M/6

Preço

€5
€3 < 25, estudante, > 65, comunidade UC, grupo ≥ 10, desempregado, parcerias

Local Auditório TAGV (lotação limitada)

Direção e interpretação Miguel Bonneville

Co-criação (2018) Isadora Alves, Joana Craveiro, Isabela Figueiredo, Maria Gil, Carlota Lagido, Joana Linda, Mariana Sá Nogueira, Rita Só, Cláudia Varejão, Sara Vaz

Edição vídeo Joana Linda (2018)

Produção Cristina Correia, Vanda Cerejo | Teatro do Silêncio

Coprodução Festival FITEI, Festival Temps d’Images

O Teatro do Silêncio é uma estrutura apoiada pela República Portuguesa-Cultura/Direção-Geral das Artes

Fotografia Joana Linda

Clique ou faça scroll para ver o próximo evento.

Toque para ver o próximo evento.

Cinema

CineEco — Escolas